Royal Enfield Himalayan

Em 2013 inauguraram uma nova fábrica em Chennai que introduziu novos processos industriais e manufactura. Em 2015 adquiriram a Harris Performance.
A Royal Enfield está a sair da sua zona de conforto para alcançar um objetivo grandioso: tornar-se o principal construtor de motos de média cilindrada e devolver ao mundo motos interessantes, divertidas
a preços acessíveis.

A Himalayan é o primeiro produto desse esforço de reestruturação.
Foi construída com um objetivo em mente: expandir o alcance da Royal Enfield e conquistar os Himalaias, independentemente do nível de habilidade do seu condutor.

Como muitos dos designs de Terblanche, tem uma beleza pouco consensual.
Transmite robustez e uma tremenda simplicidade.

Trata-se de uma aventureira modesta que foi já testada em condições extremas. E a opinião dos já tiveram oportunidade de andar nela parece bastante positiva.
Os 411cc são mais do que suficientes para, em maus caminhos, acompanhar qualquer outra moto, sem dificuldades, e capaz de cobrir longas distâncias, tendo em conta um consumo anunciado de 3,3 litros e uma autonomia teórica a rondar os 450km.