Category Archives: Neoclássicas

Triumph Scrambler 1200 XC e Scrambler 1200 XE

Foram recentemente apresentadas as novas Scrambler 1200 XC e Scrambler 1200 XE.
Com estas duas novas versões, a Triumph marca um nível nunca antes visto no que diz respeito a motos de aventura dentro do segmento das neoclássicas.

Com base na versão “High Power” do 1200cc da Bonneville, e recorrendo a uma afinação específica, a marca anuncia uma potência máxima de 90cv às 9700rpm, e um binário disponível desde muito cedo assinalando 110 Nm ás 3950 rpm.

Um género criado pela própria Triumph há décadas e que se tem tornado cada vez mais popular com uma vasta oferta dos mais diversos construtores, é assim reínventado ao melhor nível. “The real deal”!

E apesar do look clássico, as novas Scrambler são uma autêntica montra de tecnologia.
O painel de instrumentos TFT além das funcionalidades de conectividade, navegação e multimédia apresenta um novíssimo sistema que permite controlar action cameras.

Aparte disso, iluminação integral em LED, farol dianteiro DRL, comandos retro-iluminados, tomada USB, Keyless (arranque sem chave) e ABS em curva fazem parte do equipamento.

Equipada por uma suspensão traseira Ohlins desenvolvida especificamente para o modelo e uma forquilha Showa de curso longo também é completamente ajustável. Na travagem destaca-se radiais Brembo monobloco M50.

As jantes de raios cruzados comportam pneus tubeless com perfil de aventura, assim como introduzem na categoria 21” na roda dianteira.

Indian FTR 1200 e FTR 1200 S

A Indian acaba de apresentar no Salão de Colónia, Intermot, uma plataforma inovadora que representa uma nova filosofia da marca, e que acolhe um novo motor de 120cv que dá origem a dois novos modelos.

As novas FTR 1200 e FTR 1200 S foram inspiradas na história de sucesso da Indian nas pistas de “Flat Track”, prova que dominou em tempos idos, e que continua a dominar de forma autoritária desde 2016, ano em que voltou a participar, então com a sua completamente nova FTR750, que está na origem destes novos modelos.

A FTR 1200 já tinha sido apresentada em Milão, sob a forma de protótipo, na edição de 2018 da EICMA, e vem agora abrir as portas a um novo estilo de motos americanas, caracterizadas sobretudo pelos seus motores “V-Twin” de alta cilindrada.

A FTR 1200, agora apresentada em Colónia, na Intermot, oferece uma posição de condução elevada mas desportiva, graças ao guiador ProTaper. O quadro e braço oscilante são fabricados em treliça de tudo de aço, o depósito de combustível está instalado debaixo do assento, com a caixa do filtro de ar posicionada mesmo por cima do motor para optimizar o fluxo da alimentação, e a travagem vai estar a cargo de material de fricção da Brembo.

O motor DOHC de 1203cc, de refrigeração por líquido e com 4 válvulas por cilindro, debita aproximadamente 120cv, com 115Nm de binário que se espalham pela faixa de regime numa curva plana e progressiva, disponível logo desde baixa rotação.

Isto graças a uma taxa de compressão de 12,5:1, a cabeças de cilindro de alto desempenho e a corpos de alimentação duplos. A cambota de baixa inércia garante uma subida de rotação muito rápida.

O motor apresenta também imensos componentes fabricados em magnésio para manter o peso contido. A transmissão, por corrente, conta com uma caixa de 6 velocidades e uma embraiagem deslizante do tipo “Slip & Assint”.

Como seria de esperar, a electrónica tem um papel importante neste novo modelo, e não faltam nem o painel de intrumentos em LCD a cores (na versão “S”), com função “touch” e Bluetooth, 3 modos de motor (Sport, Standard, Rain com diferentes respostas ao acelerador e intervenção do controlo de tracção) e “cornering ABS” com controlo de “descolagem” de ambas as rodas, bem como tomadas USB de carregamento rápido em ambos os modelos.

222kg de peso a seco (221 no caso da versão base), assento com altura regulável entre os 805 e os 840mm, distância livre ao solo de 183mm, ângulo de inclinação lateral de 43º, jantes de fundição de alumínio de 18 polegadas, são mais alguns dos apetecíveis números que a Indian acaba de revelar.

Fonte:
http://www.andardemoto.pt/moto-news/39667-novas-indian-finalmente-reveladas-ftr-1200-ftr-1200-s/

Ducati Scrambler Icon 2019

Com mais de 55.000 unidades vendidas desde que introduzida em 2015, embora sob a forma de diferentes versões, a Ducati decidiu para 2019 reformular aquela que é a sua versão base: a Icon.

As principais novidades anunciadas são:

  • ABS em curva da Bosch
  • LED DRL (Daytime Running Light)
  • Piscas em LED
  • Novo painel de instrumentos com indicador de combustível
  • Embraiagem hidraulica
  • Ducati Multimedia System

A Ducati anuncia ainda que introduziu melhorias ao nível da maneabilidade actualizando as suspensões.
A ergonomia também sofreu alterações através de um novo banco e guiador mais largo.

Do ponto de vista estético e acabamentos, foram introduzidas novas tampas de alumínio para condizer com o tanque em lágrima. O motor é agora preto brilhante com acabamentos em alumínio escovado como na 1100.

A jantes são também as mesmas de 10 raios utilizadas na Scrambler 1100.
Estará disponível em duas coras:

  • Laranja Atomic Tangerine
  • Amarelo Classic ’62

Moto Guzzi V85 TT

O protótipo foi apresentado na EICMA 2017, mas está prestes a tornar-se uma realidade.
Na Moto Guzzi Open House que decorreu nos passados dias 7 e 8 de Setembro foi possível um maior contacto com esta novidade que irá fazer parte do catálogo da marca de Mandello de Lario.

Continue reading

Royal Enfield Himalayan

Em 2013 inauguraram uma nova fábrica em Chennai que introduziu novos processos industriais e manufactura. Em 2015 adquiriram a Harris Performance.
A Royal Enfield está a sair da sua zona de conforto para alcançar um objetivo grandioso: tornar-se o principal construtor de motos de média cilindrada e devolver ao mundo motos interessantes, divertidas
a preços acessíveis.

A Himalayan é o primeiro produto desse esforço de reestruturação.
Foi construída com um objetivo em mente: expandir o alcance da Royal Enfield e conquistar os Himalaias, independentemente do nível de habilidade do seu condutor.

Como muitos dos designs de Terblanche, tem uma beleza pouco consensual.
Transmite robustez e uma tremenda simplicidade.

Trata-se de uma aventureira modesta que foi já testada em condições extremas. E a opinião dos já tiveram oportunidade de andar nela parece bastante positiva.
Os 411cc são mais do que suficientes para, em maus caminhos, acompanhar qualquer outra moto, sem dificuldades, e capaz de cobrir longas distâncias, tendo em conta um consumo anunciado de 3,3 litros e uma autonomia teórica a rondar os 450km.