Author Archives: Thruxtonic

it roCkS!bikes CS_04 “Stealth”

Cs 0402144a

© Rui Bandeira

A dupla Osvaldo Coutinho e Alexandre Santos já não precisam de ser apresentados, nem a marca que os identifica – it roCkS!bikes. Num tempo muito curto, encurtado pelo talento e capacidade de trabalho, ascenderam à galeria das casas mais prestigiadas na preparação e construção de motos. Mas as motos que fazem merecem sempre ser apresentadas e nós merecemos conhecê-las. É certo que já foi exposta em imensos websites internacionais, mas a moto é portuguesa, os construtores também, este foi o seu berço e o seu lugar natural, e é também por isso que não precisamos de ter pressa em dar a conhecer os trabalhos que mais gostamos. Sobretudo porque já os conhecíamos e vimos ao vivo, em estreia mundial durante o Art&Moto 2014.

Cs 0402239a

© Rui Bandeira

Sobre uma base Yamaha XJR 1300SP foi delineada uma aparência que combina de forma muito feliz a vertente desportiva com uma elegância sofisticada. O equipamento incorporado, muito dele construído pela própria it roCkS!bikes, visou melhorar significativamente a performance e conferiu um carácter único e exclusivo à moto.

Cs 0402319a

© Rui Bandeira

Podemos dar a palavra ao Osvaldo e ao Alexandre que têm seguidores um pouco por todo o mundo e se expressam bem em inglês. E vale bem a pena percebermos a incorporação de trabalho e criação de que a moto beneficiou:

The bike was bought by its owner and it was in excellent mechanical conditions. We heard the ideas that the owner had for his bike, like the rear end and the name “Stealth”, because he is somehow related to the airplanes! Starting from there, we just get our hands at work to finish the bike just in time to show in Lisboa Art&Moto 2014, last April 26.

All the parts of the bike were disassembled and from the original bike we kept the gas tank, engine, part of the frame, swingarm, rear shocks, wheels and brakes. 

© Rui Bandeira

© Rui Bandeira

In the front, we fitted an Kawasaki ZXR up-side-down fork and Brembo brake calipers. To fit all together we had to fabricate aluminum CNC 3D adapters for the calipers and axles for the wheels and steering column. On the rear, we refurbish the original Ohlins double shocks. The original tires were replaced by a set of Dunlop Sportmax, in stock sizes. 

The engine, which was in fair good condition, was painted in matte black and all the bolts were replaced. 

The original air box was removed and we designed our own set of velocity stacks with filter, custom built by us especially for this project, in CNC 3D aluminum plates. To protect the air filters from direct water and dust, we fabricated a fender for the rear wheel. 

The exhaust is a 4-2-1 titanium piece, with thermal wraps in the headers. Since the air flow was fairly improved, the carbs were re-jetted and properly tuned. The oil cooler is a very small high performance part and it was fitted with new oil lines. 

The lithium battery was displaced to the rear end of the bike and it fits a charger. The braking system was improved with new brake lines and Brembo calipers. We used a digital dashboard from “Motogadget motoscope pro”, with several information like revcounter, speedo, 0-100km/h acceleration, g-meter. This unit was mounted in one aluminum bracket designed by us and cuted into CNC. 

The aluminum footpegs are custom made by us. The license plate and turning lights are “Rizoma”, and the controls are “Motogadget” m-Switch. Since we had to keep the stock gas tank in this bike, we fabricated the seat and the metal rear section with a shape that follows the tank lines. The front and rear fender are custom fabricated aluminum parts. The seat is an exclusive handmade light brown leather piece. 

All the paint job and color schemes (black and gold) were done with airbrush and then spayed with a thin layer of matte varnish. The license plate was mounted in a bracket with the tail lights, which are just 2 single Leds. On the front we fitted a small headlight, painted on the dominant color of the bike. Also the mount was custom made.

Cs 0402200a

© Rui Bandeira

 

 

Deus Bali e a Velocidade Boémia

© Nuno Rodrigues

© Nuno Rodrigues

Bali, surf, motos, arte e muito mais. De que outra forma eu poderia ficar senão excitado com a ideia de ter um amigo fotógrafo na ilha que tanta coisa me proporcionou em tempos!?

De facto, é um lugar muito especial para mim. Desde que comecei a surfar que sempre idealizei uma viagem àquela que, a par do Hawaii, é considerada a meca do surf  Mundial. Quando a mesma se concretizou foi, sem surpresas, o sitio com que mais me identifiquei, de todos os que até agora visitei que, como a maioria de vocês sabe, já são muitos.

© Nuno Rodrigues

© Nuno Rodrigues

Bali transborda positive vibes. Com a sua cultura hindu, o povo é de forma geral bastante acolhedor, receptivo e amigo. As oferendas aos deuses são uma realidade diária e por aquelas bandas parece que palavras como stress, crise e ratings são realidades muito distantes. Tudo é levado com maior simplicidade e naturalidade. E por isso mesmo, no reverso da medalha, é o “Algarve” de muitos australianos.

O conjugar destes factores todos, acrescido à cultura fortíssima das motos na ilha, fizeram com que se tornasse também, um dos pólos estratégicos da marca Deus ExMachina.

© Nuno Rodrigues

© Nuno Rodrigues

Parece que tudo encaixa na imagem da marca. O clima tropical, a paisagem exuberante, a legalidade permissiva a alteração das motos, a mão de obra acessível e um playground, no que toca a ondas, inigualável. Desta loja surgem autênticos estudos de caso, formando-se e diplomando-se na ilha, os mais credenciados atletas das várias modalidades de ondas que os Deus já patrocinam.

A loja têm halfpipe, restaurante, estúdio, galeria, sala de shape, festas de arromba, eventos inesquecíveis e uma imagem muito forte.

© Nuno Rodrigues

© Nuno Rodrigues

Podemos ser, ou não, fãs da marca mas é indiscutível o contributo que deram ao nosso panorama, assim como também o é, enquanto marca de sucesso que muitos tentam seguir e plagiar. De todas as lojas… da original na Austrália, das que pelo mesmo continente se seguiram, da muito bem pensada loja americana ou também da já aqui falada, loja na capital mundial da moda, em Milão, esta é sem dúvida alguma a minha favorita, por tão bem incluir todas as esferas em que me movimento e, sempre que posso, seja no surf seja de moto, a uma velocidade boémia.

© Nuno Rodrigues

© Nuno Rodrigues

Resta-me agradecer o insight do meu amigo Nuno Rodrigues que com a sua marca 8Oito fazem um trabalho de excelência em  produção de fotografia e vídeo.

* Tiago “Solero” Santiago, autor do texto, é fotografo e membro do staff Café Racer 351 e Art&Moto. É o nosso correspondente no exterior para a zona Mundo e, além de surfista, conduz uma magnífica BSA Lightinig 650 (1970) “ZZ TOP.

** Nuno Rodrigues exibe a sua Arte como cameraman e fotógrafo. Viajante pelo mundo, tem a sua base na pérola do Atlântico. A sua produtora pode ser contatada em oitoproductions@gmail.com e informação adicional em https://www.facebook.com/8Oito

Retrospective Culture: Surfar o presente do passado

in Wavegliders

in Wavegliders

Num paralelo do que vem acontecendo no mundo das motos,  com o virar do século, vai virando também a direcção da tendência de consumo no mundo do surf. Nas duas esferas, parece que o consumidor se cansou da velocidade estonteante com que saiam novos produtos e soluções para um sem fim de problemas. Pranchas e motos que se batiam por segundos, fatos que dentro ou fora de agua aumentavam o desempenho do ride, inutilidades que prometiam fazer do comum mortal um pró da modalidade.

deusexmachina2

in Deus ex-machina

Hoje, as coisas estão mudadas. O consumidor admite que não tem nem terá a prestação de um profissional, e descobriu que se agarrou ao surf/motos, pelos prazeres mais básicos destas culturas. O vento na cara, o sal na boca, a areia na cama, deixaram de ser problemas para passarem a ser a solução. Tudo é mais simples. O que interessa é a raiz. Aquilo que nos motiva a levantar as seis da manha, apanhar frio, entrar na agua, quando todos pensam que somos malucos.

breklim

in Breklim

Nesta perspectiva o mercado vai-se virando para esta nova filosofia e vai recuperando o que de melhor foi guardando nas arrecadações.  Longboards, singlefins, twinfins, fishs entre muitas outras soluções ultrapassadas, voltaram a estar na berra. Já ninguém liga ao facto de a prancha derrapar um pouco, todos querem curtir a linha da onda, as manobras difíceis, os aéreos impossíveis… esses ficam para a prozada!

A nível internacional é aqui que também vemos as duas culturas a convergir. Reflexo disso são os filmes que preenchem o nosso imaginário. Scramblers made by DeusExMachina, a carregarem longboards do mesmo fabricante, entre paisagens tropicais, ao melhor estilo Endless Summer, até picos perfeitos, com ondas kilométricas.

deusexmachina

in Deus ex-machina

Por cá vão também surgindo alternativas de qualidade superior como são os casos da wavegliders e da MagicQuiver com pranchas de puro design retro, numa viagem ao que de melhor se passou nos 60’s/70’s, ou numa alternativa de materiais, as pranchas de agave feitas pela Breklim.

Vai-se tornado cada vez mais  comum vê-las nas nossas praias e eu como confesso apaixonado por isto tudo, não vejo a hora de complementar o meu quiver com um bocadinho de soul.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

in Magic Quiver

* Tiago “Solero” Santiago é fotografo e membro do staff Café Racer 351. É o nosso correspondente no exterior para a zona Mundo e, além de surfista, conduz uma magnífica BSA Lightinig 650 (1971) “ZZ TOP.

Surfing Photos @ Art&Moto

SURF

por Tiago Santiago Silva*

CP1

by Carlos Pinto

O surf para mim começou bastante antes de me ter posto em pé numa prancha pela primeira vez. No meu caso não houve um click mas sim uma sequências de acontecimentos e vivências  que me orientaram para aquilo que viria a ser uma grande fatia da minha vida.

CP3

by Carlos Pinto

Desde as brincadeiras na praia, nos tempos de criança, seguindo pelo crescente respeito e fascínio que a natureza sempre me provocou, o surf já fazia parte de mim sem que disso eu me tivesse apercebido.
Lembro-me bem das primeiras imagens de surf que vi, e a fotografia de surf foi sem dúvida a grande responsavél por me formar e trabalhar nessa área.
Antes sequer de sonhar em pegar numa tábua, já papava tudo o que era revista do meio, lendo-as e relendo-as milhares de vezes com uma especial atenção ás imagens.

AC1

by André Carvalho

Fotógrafos como Carlos Pinto ou André Carvalho, que irão ter obras suas presentes no Art&Moto, criaram em mim todo um imaginário de perfeição fisica e espiritual que queria alcançar na minha vida e que acabou por acontecer tinha eu quinze anos.
Quem já o fez sabe do que falo. Nada se compara ao momento em que entramos na agua, nos levantamos numa prancha e olhamos para uma massa imensa a erguer-se ao nosso lado. É das coisas mais belas que a vida nos pode dar.

CP2

by Carlos Pinto

Para mim não se trata de um desporto mas sim de uma religião. A vida passa-se a reger pelas marés, as viagens só são boas se tiverem mar e os dias maus só se colmatam com boas surfadas.

Longe da imagem que as grandes marcas promovem, de corpos bronzeados, agua azul turquesa e abdominais, para mim o ideal de perfeição nada mais é do que um dia de inverno, boas ondas, dois, três amigos na agua e chuva a cair. É simplesmente mágico!

AC2

* Tiago Santiago Silva é fotógrafo e surfista, entre outras artes e paixões. Desloca-se numa BSA Lightinig 650 (1971) “ZZ TOP”.

Brandon (P)Arts – As Artes do Metal

Há casos em que é melhor ir direito ao assunto. Só para começo de conversa.

A mota era assim:

SR250 inicio

E ficou assim:

1zzlvm9a

Nota-se a diferença!? Então agora já podemos continuar a conversa. Com respeito, muito respeito.

Jorge Brandão é um mestre do trabalho em metal como não há muitos. Nem aqui nem ali, não há muitos. É um mestre do metal. E só devemos pronunciar o seu nome com o prefixo mestre que, mais que um título académico, é um atributo artístico. Mestre Jorge Brandão, é assim que se diz.

Estabelecido em Famalicão, foi na família que aprendeu um ofício que o seu talento fez evoluir para Arte. Não é um habilidoso, é mais que isso, é um criador e, se se pode usar com legitimidade a expressão “construir uma mota”, é ele que a tem, dado que todas as peças que contemplamos saíram das suas mãos, depósito, escapes, fairing, componentes mecânicos, detalhes, you name it.

2qu5ct1

Do seu atelier/oficina Brandon Parts saem obras primas consecutivamente, cada trabalho é uma. É lá que se dedica a dar nova vida a veículos de grande raridade e valor. É esse o seu métier, mas a paixão por motos leva-o a deleitar-se em construir para si preciosidades como esta SR250, uma humilde e utilitária peça com 30 anos, destinada a um triste destino mas elevada a peça de galeria de Arte e Ofício.

es8ggy

A legião de fãs que seguem os seus trabalhos aqui ao lado no Fórum CR351, estão sempre ávidos das novidades do mestre, curiosos pelo seu saber e pelos seus conselhos. Todos eles, e o público em geral, vão poder contemplar – estes trabalhos não se vêm simplesmente, contemplam-se – duas peças suas no Art&Moto 2014 – www.artemoto.pt .

fairing

Para os mais curiosos, recomendamos que consultem aqui (clicar) os detalhes técnicos desta sua construção.

 

Art&Moto Lisboa – Motos, Surf, Video Arte e Lifestyle

image description

by Raulowksy

Irá realizar-se em Lisboa a segunda edição (V2) do evento internacional designado por Art&Moto, uma sequência e evolução natural do sucesso do ano passado. Este ano, além das motos vintage e custom, café racers ou scramblers, a temática será alargada ao universo  do surf, vídeo, música, roupa, cultura e lifestyle, procurando assim proporcionar uma exibição mais integrada e completa das práticas e vivências artísticas contemporâneas.

O evento principal vai ocorrer no dia 26 de Abril, sábado, com abertura ao público entre as 15 horas e as 24. A entrada é grátis! O local da exposição será no edifício XL, situado num dos espaços mais carismáticos da cidade, a LxFactory.

yamaha_363723_2014_yam_400srwmgb_eu_custom_sta_003 351

Yamaha SR400 Gibbon Slap by Wrenchmonkees

No exterior, haverá um espaço de estacionamento reservado às motas dos visitantes que tenham exemplares dignos de especial destaque, permitindo que, sem compromissos, possam exibir as suas máquinas mais preciosas e que são, muitas vezes, trabalhos de excelência feitos pelos seus proprietários. Sem ser um concurso, os melhores exemplares serão convidados para participar noutras ações.

Para os participantes e convidados estão incluídos três dias de atividades, 25, 26 e 27 de abril, com passeios nos arredores da cidade e refeições em locais rústicos, filmagens vídeo e fotografia.

yamaha_363743_2014_yam_400srwmgb_eu_custom_sta_004-2351

The Gibbon Slap @ Wrenchmonkees HQ

No programa consta a apresentação no local de modelos de marcas de referência nesta cultura além de alguns dos mais destacados construtores e preparadores nacionais, alguns já com grande reconhecimento internacional, outros ainda menos conhecidos mas igualmente talentosos e merecedores de maior projeção.

Também o universo do surf marcará presença pela primeira vez, reforçando uma ligação natural entre esta modalidade e as motas, não só através da presença de shapers nacionais “old school” que trabalham em fibra e madeira, de roupa e acessórios de marcas de grande prestígio e também na vertente da fotografia e vídeo, celebrando assim o país como referência mundial na modalidade.

A produção é do colectivo Café Racer 351 e da 351Works. Informação mais detalhada e respetiva programação, bem como o conjunto completo de participantes, poderá ser acompanhada em http://www.artemoto.pt (muito em breve).

Honda CB750 DOHC Modern 3

by Sylvain Berneron/Holographic Hammer to ItroCkS!bikes – Gravedigger Special Edition Modern

 

 

 

 

 

 

Tricana Motorcyles TR6R – a arte da mota

tricana351_5

Jonathan Natário é dos construtores portugueses mais fascinantes da nossa cena nacional. E ambos os sentidos, pela sua personalidade pessoal e pela personalidade das motas que constrói.

Fazendo poucas motas, faz muitas obras-primas, porque cada uma que faz é uma realização preciosa sob o ponto de vista da construção técnica, do requinte dos detalhes e da harmonia estética que consegue, surpreendendo-nos sempre. Cada mota, um sucesso. que tem vindo a ser lentamente reconhecido, sobretudo no panorama mais internacional

tricana351_1

A marca que criou, Tricana, é completamente coimbrã, terra rica no seu próprio Fado que  emprestou aqui um cenário para fotografar a sua última criação, uma Triumph TR6R, publicada com toda a pompa no BikeExif, no seguimento da sua também muito aclamada Tricana Mondego.

tricana351_2

A arte do Jon combina uma grande sensibilidade à forma com o rigor do conhecimento técnico que apurou durante os seus universitários com uma tese sobre “chassis” em Oxford. Uma combinação ideal de “arte e ofício”. Nascido em França, piloto de competição de Karts em Portugal e agora a viver na Suíça, a obsessão pelo perfeccionismo e a vontade de criar acompanham-o sempre.

tricana351_3

Esperemos que venham mais motas a este ritmo de qualidade. Os seus trabalhos merecem mais exposição e os seus admiradores merecem mais criações. Parabéns pelo sucesso, Jon.

tricana351_4

Fotos de Tiago Santiago Silva.

Gravedigger Special Edition – Modern and Classic

Honda CB750 DOHC Classic X2

Gravedigger Special Edition – CLASSIC

A já consagrada dupla da itroCkS!bikes, depois do enorme sucesso da sua primeira mota, a Graveddiger, surgiu naturalmente com a resposta a uma exigência que se tornou cada vez mais frequente: como se poderia ter uma?

Pois a partir de agora pode-se ter uma ou… duas. A marca surge com duas propostas distintas, capazes de provocar tentações nos amantes de um look mais clássico ou mais ousado e moderno, sendo que o coração é o mesmo – um motor poderoso e revitalizado – a alimentar uma Edição Especial e limitada com duas configurações muito distintas: uma clássica e outra moderna.

Honda CB750 DOHC Modern 3

Graveddiger Special Edition – MODERN

Sendo uma mota conceptual, a Graveddiger era como um portfolio do potencial de criatividade e capacidades técnicas do Osvaldo Coutinho e Alexandre Santos, uma peça única mas que não estava orientada para um usufruto mais frequente. Estes modelos de produção podem agora tornar-se acessíveis aos admiradores do protótipo e em duas versões que são, também, peças de coleção.

A Classic apresenta um equipamento premium, de alta tecnologia, mas exibindo um classicismo intemporal sem ser revivalista, evocando simultaneamente uma tendência para a velocidade mas com linhas de uma elegância sofisticada, como é apanágio deste atelier.

A Modern é nitidamente uma mota de linhas arrojadas mas com uma harmonia delicada entre requinte e agressividade.

Dois modelos, dois mundos distintos mas que se encontram um ao outro, no ponto onde a técnica e o design também se encontram: na excelência da itroCkS!bikes.

cb 750 FB4

 

Informações e reservas em itrocksbikes@gmail.com

Design gráfico de Sylvain Berneron para Holographic Hammer.

Suzuki GS1100E – Fénix (a renascida)

fenix6

 

Para quem é apaixonado por motas e as respeita, das coisas que dá mais prazer é ver salvar uma condenada ao abandono. Por isso, esta Fénix, como foi batizada, não só é uma bela máquina como também uma boa notícia.

fenix inicio

 

Se este foi o ponto de partida, o final foi muito diferente. A perícia de Sérgio “Thunderbird” Teixeira, herdada de seu pai e do avô, produziram uma mota melhor e mais apetecível do que quando nasceu numa fábrica e época distante.

fenix3

 

Com detalhes fruto de pura imaginação e baixo custo produz-se alto efeito, como é o caso deste conjunto improvisado de Leds.

fenix1

 

O cuidado nos acabamentos anda a par com a qualidade de alguns componentes, quando essas opções se justificam, como é o caso do escolhido.

fenix4

 

Não sendo uma criação de autor, uma vez que se tratou duma encomenda de um cliente, a configuração foi baseada num desenho de Oberdan Bezzi. As fotos são de Daniel Vidinha.

Parabéns “Thunder”.

Lisboa Art&Moto – Portfolio by Alfredo Matilla

Paseo Café-Racer con el Moto Club de Sintra. fecha: 28-04-13.

 

Durante a primeira edição do evento Lisboa Art&Moto, o fotógrafo madrileno Alfredo Matilla captou bem o espírito que nos leva a amar tanto as motas, a liberdade e amizade entre aqueles que prezam um certo estilo de vida.

Aqui fica uma pequena parte do seu portfolio sobre essa ocasião. E ficam também as saudades de dias inesquecíveis que poderão estar perto de se repetir.

Gracias Alfredo, por tu presencia, tu arte y tu amistad.

Voltaremos a ver-nos em breve!

Durante el paseo Café-Racer con el Moto Club de Sintra. fecha: 28-04-13.

 

Durante el paseo Café-Racer con el Moto Club de Sintra. fecha: 28-04-13.

 

Durante el paseo Café-Racer con el Moto Club de Sintra. fecha: 28-04-13.

 

Piloto en la calle del LXFactory, Lisboa. Fecha: 27-Abril-2013.

 

Lisb_col031bnw

 

Durante el paseo Café-Racer con el Moto Club de Sintra. fecha: 28-04-13.

 

Motos del CRO en la discoteca del LXFactory, Lisboa. Fecha: 27-Abril-2013.